Notícias

Inria apresenta novo edital para acordo de cooperação técnica com FAPs

08/03/2013 - Samila Bonilha/ CONFAP

A proposta de criação de um novo edital que une as Fundações de Amparo à Pesquisa do Brasil e o Instituto Nacional Francês para Pesquisa em Ciências Computacionais - Inria foi o foco de debates, na tarde desta quinta-feira, no Fórum Nacional das Fundações de Amparo - Confap, que acontece na cidade de Salvador - BA.

Os Presidentes das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa do Brasil iniciaram os debates com representantes do Inria visando à criação de uma proposta de um novo edital para auxiliar na mobilidade e hospedagem de pesquisadores. Uma minuta da proposta de edital deverá estar pronto em maio, na próxima reunião do Confap, em São Paulo.

O presidente do Confap, Mário Neto Borges, esclareceu que já havia relações bilaterais entre o Inria e algumas FAPs do Brasil com financiamentos destinados a projetos de 18 meses voltados à mobilidade e curta hospedagem de pesquisadores.

"Passamos a discutir um alargamento dessa cooperação apoiando projetos mais ambiciosos, de no mínimo três anos, para fortalecer ações já iniciadas e iniciar outras relações de pesquisa", explicou Mário Neto.

O presidente do Inria, Pierre Bliman, informou que serão aceitos até quatro grandes projetos brasileiros a cada ano por um período de três anos. "Temos interesse em fazer essa cooperação técnico-científica e trataremos os grupos principais e orbitais de maneira idêntica", disse Bliman.

Grupos de pesquisa
Os projetos têm de ter um objetivo em comum, com metas definidas, em que a composição da equipe franco-brasileira seja complementar em sua execução.

As equipes francesas serão formadas por pesquisadores de equipes-projetos do Inria, liderados por pesquisadores do Instituto.

As equipes brasileiras podem ser de dois tipos: principal, formada por pesquisadores de um Estado cuja FAP tenha aderido ao edital e que seja associada ao Inria; e orbital, formada também por pesquisadores de FAP que tenha aderido ao edital com a diferença que trabalhará ligada à equipe principal.

De acordo com a proposta de edital o limite financeiro dos projetos é de até R$ 150 mil para um período de três anos, que deverão custear missões de curta ou longa duração de pesquisadores, doutorandos e técnicos, além de estágios de até três meses para alunos de mestrado.

As equipes orbitais têm um limite financeiro de R$ 20 mil para custeio de missões de curta duração. "Uma equipe pode começar como orbital e no outro ano submeter projeto como equipe principal. O grupo principal pode servir como uma via de acesso para as orbitais", disse o presidente do Confap, Mário Neto Borges.